Por Mariana Bernun

Matraqueiros, já pararam para pensar no quanto somos manipulados durante a nossa vida?

Pois bem, Antoni Muntadas nos traz algumas destas reflexões na Pinacoteca do Estado com a Mostra “Muntadas: Informação > Espaço > Controle”. Até o dia oito de maio ficam expostas cinco obras cuja análise são as relações entre a sociedade e a mídia. Duas delas contextualizadas no Brasil, “Stadium XIV” e “Alphaville e outros”, realizadas especialmente para o espaço.

Antoni Muntadas (Barcelona, Espanha, 1942) é um dos mais importantes artistas contemporâneos que desde os anos 1970 expõe no Brasil. Participou de duas edições da Bienal Internacional de São Paulo (1981 e 1983).

Quem que resolver dar um pulo até a Pinacoteca com certeza irá se deparar com uma exposição interativa, ampla e com trabalhos realizados em diferentes épocas (1978 a 2011). As obras deixam nítidas as críticas de Muntadas à imprensa escrita e audiovisual, além de evidenciar a maneira como é construída a opinião pública, como é gerado o consenso e como é sedimentado o “senso comum”.

Abaixo curiosidades de cada exibição:

‘Stadium XIV’ integra uma série, chamada “Media Architecture Installations”, cujos trabalhos incorporam a linguagem da arquitetura. A obra enfatiza a ideia do estádio como espaço de comunicação e questiona o papel do espectador por meio de uma inversão: se o público tradicionalmente senta-se na parte externa do estádio, nesta obra ele é projetado para o centro do campo, delimitada por uma “grade” de colunas que configura uma elipse.

‘Alphaville e outros’ analisa o fenômeno urbano dos condomínios fechados que surgiram nas grandes cidades como um reflexo do medo e das noções de segurança e exclusividade.

‘Video is Television?’, um grupo de palavras se sobrepõe a uma série de imagens que aparece em televisores, capturada de diferentes fontes audiovisuais e cinematográficas. A obra condensa o conceito de paisagem dos meios, desenvolvido por Muntadas desde seus projetos dos anos 1970 e 1980, que trata da mídia como agente de construção de outra realidade.

‘On Subjectivity’ utiliza imagens descontextualizadas procedentes dos meios de comunicação e propõe ao espectador uma reconsideração da informação exposta.

On Translation: Fear/Miedo, 2005 e Miedo/Jauf, 2007 o artista traz a tona a sensação do medo sob as perspectivas do pessoal, do público, do midiático e do político. Foram realizados a partir de tomadas abertas e de entrevistas com pessoas situadas lado a lado em fronteiras entre o norte e o sul: “Fear/Miedo” em San Diego e Tijuana (limite entre os Estados Unidos e México, “América do Norte” e “América do Sul”); “Miedo/Jauf” em Tarifa e Tanger (limite entre Espanha e Marrocos, Europa e África). Em ambos os casos trata-se de lugares paradigmáticos de negociação e tradução.

Serviços:

Pinacoteca do Estado – Praça da luz, 02 Tel. (11) 3324-1000
Aberta de terça a domingo, das 10h às 18h | R$ 6,00 e R$ 3,00 (meia). Grátis aos sábados