Por Antonio Saturnino

O início desta semana representa muita expectativa e ansiedade para inúmeras pessoas. No próximo sábado (19), Shakira se apresenta, em São Paulo, no Pop Music Festival, para uma multidão. Já imagino a cena: muitos à espera na portaria do hotel para receber um único aceno da cantora e muitos fãs dormindo na fila para conseguir um lugar “privilegiado” e assistir uma das maiores estrelas pop da atualidade cantando sucesso como “My hips don’t lie” e “Waka waka”.

Sei que posso receber represália por isso, mas, sinceramente, prefiro a velha Shakira. Aquela de cabelos vermelhos bem volumosos, roupas recatadas e não tão sexy quanto hoje. O fato é que havia muito mais verdade na velha Shakira, não era apenas business.

Me lembro de quando, no alto dos meus 12 anos de idade, me esforçava muito para conseguir cantar as partes rápidas e quase incompreensíveis de “Estoy aqui” e “Donde estás corazón?”. E minha dica de hoje é justamente este álbum, o “Piez descalzos, sueños blancos”, de 1996.

O CD fez muito sucesso aqui no Brasil, principalmente as canções citadas acima. Mas algumas outras faixas merecem atenção especial. Na canção 11, a cantora mostra sua veia crítica em “Se quiere, se mata”, na qual mostra sua posição contrária ao aborto. As músicas “Antologia”, “Quiero” e “Te necesito” possuem belas, mas belas mesmo, letras românticas.

A única coisa deste CD que deveria ser abolida são as canções que ela canta em português. Uma das coisas mais ridículas. Enfim, pare o CD na faixa 11 e conheça a Shakira de verdade, por trás da personagem gostosona.

Ouça o CD na íntegra. http://www.radio.uol.com.br/#/album/shakira/pies-descalzos/1158