Por Marco Barone

Alguém um dia já parou para imaginar a razão de se colocar as mulheres sempre do lado de dentro da calçada? Cavalheirismo? Não querer vender a companheira? Puro costume atávico (passado de geração para geração, sem ter uma razão específica para sua existência)?

Bem, por incrível que pareça, esse costume tem uma origem e uma razão lógica. Isso data da Idade Média, na Europa. E não era restrito às mulheres, mas a todas as pessoas influentes ou por quem se tinha estima.

Naquela época, as cidades e pequenos vilarejos tinham pouco espaço nas ruas e calçadas com pedras. O que se vê nos filmes medievais é bem verdade, as ruas eram muito estreitas para as pessoas andarem. O esgoto era a céu aberto e passava exatamente no meio. Havia largura suficiente para que uma somente pessoa passasse por vez, por um lado ou outro da rua.

Se a pessoa estivesse sozinha, não havia problemas. Mas se acompanhada, aí residia a complicação. Mandava-se o seguinte à época: se era rico, o empregado iria atrás, em fila indiana. Mas se caso estivesse com um amigo, um igual, a namorada ou a esposa como ficava a coisa? O costume não era ter divisão de classe, mas andar lado a lado.

Caso se gostasse da pessoa, independentemente do sexo, ia-se pelo lado direito, com os pés no esgoto enquanto a outra pessoa ia pela calçada. Foi assim que nasceu o costume que existe até hoje. Pura educação ou consideração. Mantido até hoje, poucos têm noção de como isso começou. Fato explicado…

Semana que vem conto a razão de se dar o primeiro gole da bebida ao santo.

Anúncios