Por Renniê Paro

Foto de Gabriel Martins Pazin

Excepcionalmente esta semana escreverei na terça-feira, o dia da música. A razão para tal alteração é simples: a realização do show de uma das maiores bandas do mundo em São Paulo, o U2.

A expectativa e movimentação para o show da turnê U2 360º teve início ainda em dezembro, com os rumores da vinda da banda irlandesa para o Brasil. Com a confirmação foi aberta a caça os ingressos. Inicialmente eram “apenas” 90 mil ingressos para um dia de show (9 de abril). Como a procura foi novamente absurda (assim como em 2006, última vez que a banda passou pelas terras tupiniquins), foram abertos mais dois dias de show, dando a oportunidade para mais 180 mil pessoas estarem na presença de Bono Vox e seus companheiros de palco.

Na noite de sábado (9) o coração dos fãs estava aos pulos. O show teve abertura da banda MUSE, pouco conhecida pela maioria dos presentes. Confesso que não botava muita fé, mas me admirei. São muito bons músicos, mesmo o vocal deixando um pouco a desejar. Foi o esquenta para o grande momento. Sabe quando você fica só esperando as luzes se apagarem para ter a certeza de que o show começou? Pois é, as luzes estavam bem acessas quando Bono, The Edge, Larry e Adam surgiram no corredor de acesso ao palco (uma das maiores estruturas do mundo, já utilizadas em turnês). Uma entrada simples e perfeita! (ok, para quem ainda não se deu conta…sim, eu sou fã declarada da banda rs).

Foto de Gabriel Martins Pazin

Após um coro ao som de Adoniran Barbosa e David Bowie, o show foi aberto comEven Better Than The Real Thing, seguida por I Will Follow, ambas levando a multidão ao delírio. Hits do novo cd como Get On Your BootsMagnificentseguiram animando o público, vindo dos quatro cantos do País. A multidão foi ao delírio com os grandes clássicos (que compuseram grande parte do show), comoElevantion, Until the End of The World, I Still Haven’t found What I’m looking For, Beautiful Day, Miss Sarayevo (em que o Bono interpreta também a parte que caberia ao grande cantor Pavarotti), Walk On e a clássica (e sempre esperada)With or Without You.

Estava na pista, bem em frente ao palco (é, no meio da bagunça mesmo). Ao olhar para os lados via uma onda de emoção e frenesi tomando conta de todos os presentes. Pessoas chorando a cada acorde da guitarra de Edge ou ao som da bateria impecável de Larry. Somente quem faz parte de um show desses consegue explicar o sentimento de fazer parte de algo tão grande.

Quase ao final, Bono fez uma bela homenagem às crianças vítimas do massacre ocorrido no Rio de Janeiro recentemente (crime que chocou todo o mundo). Os nomes de todos os 12 pequenos foram mostrados no telão gigante posicionado a 360º no centro do Estádio do Morumbi, sob ao som de Moment of Surrender. Todo um estádio emocionado e cantando em uníssono.

Enfim, poderia ficar aqui discorrendo sobre show por dias e dias, mas é melhor parar por aqui. Aos fãs e amantes de U2 fica minha admiração e o sentimento único compartilhado. Aos que não puderam ir ao show, fica minha torcida para que a banda volte ao Brasil o quanto antes para que todos possam partilhar desse momento.

Foto de Gabriel Martins Pazin