Por Mariana Bernun

Estamos em mais uma semana na dança das editorias, já diria meu amigo e companheiro de blog Antonio Saturnino. E hoje eu invado o espaço dele para falar do segundo CD solo de Marcelo Camelo.

Foto: Mariana Bernun

Durante dois anos após o lançamento de “SOU” os fãs do cantor esperavam com grande frenesi as novas composições do ex Los Hermanos. Finalmente no dia 05 de abril, foi lançado o álbum “Toque Dela”. Não demorou muito para que as músicas vazassem na internet e todos entrassem na viagem melodiosa de Camelo.

Em várias entrevistas o músico cogitou que o segundo trabalho dele teria um ar mais animado, foi o que imaginei que seria quando divulgaram os shows na chopperia do SESC Pompeia, e não no teatro como de costume. Estava convicta de que seria uma performance mais ritmada – até porque o espaço tem poucos assentos – e menos “depre”, isso até ouvir todas as 10 canções do novo álbum.

Foto: Mariana Bernun

Com notas pouco estrondosas, letras singelas, voz suave e ritmos malemolentes não entendi como aquele cd podia ser mais animado que o primeiro, e como o show seria vibrante com aquelas músicas tão lentinhas. Confesso que fiquei ansiosa pensando como seria a tal apresentação, desde o instante que ouvi as primeiras letras do carioca até o dia 29 de abril, data do segundo show do cantor no SESC Pompeia.

Pois bem, chegado a tão esperada data, pude enfim, compreender o que o cantor quis dizer com um “show mais animado”.  Com a chopperia do SESC lotada e a voz serena, Camelo iniciou com três músicas do novo álbum: “Ô Ô”, “A Noite”, e “Tudo o Que Você Quiser”.  O público estava afiado e fazia um bonito coro. Aqueles que, como eu, ficaram com medo de ver um show introspectivo, se surpreenderam.  Durante duas horas de cantoria, um misto entre músicas da época dos Los Hermanos, “Sou” e “Toque Dela” aconteceu.

Os fãs hermanicos vibraram e choraram ao som das canções, e ao contrário da turnê de “Sou”, eles tinham espaço para dançar e pular com a mescla entre músicas lentas e agitadas. As dancinhas eram das mais comedidas às mais estrondosas, era divertido ver o público interagir com o cantor. Em certo momento, empolgado com a plateia ele disse estar precisando de uma noite como aquela (que acontecia) para sentir realmente o início de sua turnê. Inclusive incluiu no show, provavelmente de última hora, a canção “Teus Olhos”, música que só teve a execução deleem Porto Alegre, na turnê de “Sou”.

Apesar de sexta não ter a presença ilustre da cantora Vanessa da Mata, como aconteceu no show de quinta 28 de abril, e nem a de Mallu Magalhães no dia30, aatuação de Camelo teve mais desenvoltura e realmente houve a vibração que ele tanto esperou do público. Embora o setlist fosse o mesmo para os três shows (28, 29 e 30 de abril), foram acontecimentos, vibrações e atitudes que fizeram os três dias desta mini turnê de shows completamente diferentes.