Por Fernanda Beziaco

Olá leitores! Mais uma sexta chegou, como é bom estar com vocês novamente🙂

Hoje preparei um post especial sobre o livro Peter Pan do J.M. Barrie, mas vou falar aqui sobre o livro original, a história profunda e extremamente adulta que está por trás desse personagem que foi e é tão amado.

É isso mesmo queridos leitores, nada de versões fantasiosas e bonitinhas como mostram os filmes da Disney.

O livro, apesar de ter como personagens diversas crianças, é muito pesado. Com uma carga de informação que vai além da compreensão infantil (referindo-me aqui a crianças de até 7 anos). Vou explicar o porquê e que fique claro que esta é a minha interpretação da leitura.

Peter Pan trata essencialmente de duas coisas, a primeira é o abandono e a segunda é o tempo. E, não menos importante e também abordada, a morte. Sei que hoje qualquer joguinho é violento e que estamos expostos a violências tão duras que ao falar do livro vai parecer loucura, porém, diferente de “brincar” com a violência, acredito que os livros em geral tem um efeito interessante, o de fazer pensar e imaginar.
Calma, deixa eu voltar a história para não perder a linha do raciocínio.

Os pais de Wendy e de seus irmãos uma bela noite vão ao teatro e os deixam sozinhos, Peter entra pela janela e os leva para Neverland (a tão famosa Terra do Nunca) e lá vão viver muitas aventuras e é sobre elas que vamos falar brevemente aqui.

Peter é um menino abandonado, preso no tempo, vivendo uma ilusão. Assim como os meninos perdidos, que acham em Wendy a possibilidade de ter uma mãe. O jacaré do Capitão Ganho, nada mais é do que o tempo que passa, Tic Tac é seu nome. Sim, o livro é cheio de significados intrincados na história, trazendo a tona sentimentos e pontos de vista que podem fazer você pensar.

O livro vai além, vários piratas são mortos na história (seria piratacidio?), tentam matar a Wendy, prendem seus irmãos e os meninos perdidos.

Tudo bem que tem a questão “o bem vence o mal”…mas não é só isso, há também estratégia para derrotar o vilão, inteligencia e perspicácia.

Definitivamente não, Peter Pan não é um mero livrinho infantil que conta a história de um menino que não cresceu e ficou pra sempre na terra do nunca, Peter Pan é uma dura critica ao abandono, é a exposição à violência e o medo do tempo que todos nós temos. Talvez vocês tenham lido e achado algo completamente diferente de mim, então por favor me conte sua visão, eu, por enquanto, sigo acreditando que esse foi um dos livros mais maduros que já li. Até a próxima sexta pessoal!

Ahhhh, não esqueçam de abrir a matraca antes de sair e siga-nos no twitter: @matracacultural