Por Fernanda Beziaco

Cativa-me!

Esse é o verbo mais encantador do livro O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry.

Olá queridos leitores. Chegamos a mais uma sexta-feira e hoje nada mais nada menos que O Pequeno Príncipe está por aqui.

Bem curtinho, é o livro francês mais vendido no mundo, vejam só! E é uma das obras literárias mais traduzidas.

Apesar de ficar na seção infantil de leitura, o livro é uma lição para os “grow-ups”. Por que será que nossa perspectiva muda quando deixamos de ser crianças?

“Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos” – O Pequeno Príncipe

Para uma criança as coisas fazem sentido de uma forma completamente diferente do que para um adulto. E, o mais engraçado, é que todos já passamos por essa fase.

O livro é poético. A história é simples. Antoine dá vida a um piloto, que quando criança, queria ser desenhista.

Porém, em uma de suas viagens, ele cai no deserto e está sozinho, ninguém pode ajudá-lo a consertar o avião.

Acorda com o menino pedindo um desenho e passa alguns dias com ele, descobrindo sua aventura até chegar ao planeta Terra.

Aos poucos, O Pequeno Príncipe vai lhe dando detalhes de sua vida, seu planeta, a rosa que ele tanto ama.

Enquanto isso, o piloto, que queria ser desenhista, trabalha em seu avião.

Como uma lição sobre como agimos e como deveriamos agir, o livro propõe uma reflexão. A solidão humana, a falta de apego as coisas importantes, a vaidade excessiva, a falta de amor.

É um livro encantador. Leiam!

Anúncios