Por Renniê Paro

Estou escrevendo no dia do meu caro colega Antonio Saturnino para falar sobre o último show que fui cobrir. Já sei que muitos acharão brega ou inadequado, mas ninguém pode negar o sucesso que esse cara já fez (e ainda faz, para algumas pessoas) na música brasileira.

Na noite de sábado (27) fui acompanhar o show intitulado “Íntimo”, do Fábio Júnior, realizado na área de eventos do clube Juventus, na Mooca. Para começo de conversa, já fui a alguns shows, mas nunca, em toda a minha vida, vi fãs tão malucas e histéricas como no show dele. Mulheres saindo no tapa e se jogando no chão (literalmente) para pode ficar o mais próximo possível de seu grande ídolo.

Fábio Júnior é, como todos sabem, o charme em pessoa. Encanta com seu sorriso, jeito de menino e baladinhas românticas. No show com ar de “entre, sinta-se em casa”, Fábio entoou canções antigas, como Senta Aqui (nessa achei que o Juventus viria abaixo com os gritos femininos rs), Sem limites para sonharO que é que há, entre outras.

Uma das coisas que decepcionou, por assim dizer, foram as inúmeras regravações que o cantor inseriu em seu set list. Não que não fossem músicas boas (quem falar que Tim Maia é ruim, pode ser considerado maluco), mas aposto que, assim como eu, muitas pessoas presentes esperavam ouvir os tantos outros sucessos do galanteador. 

Com quase duas horas de show ininterruptas, pode-se dizer que Fábio ainda faz jus a sua fama de conquistador. Cada sorriso jogado ao vento, um olhar meio de lado… tudo faz parte do grande show e teatro do cantor (que, por sinal, instiga a mulherada a perder a linha).

Para quem curte baladinhas românticas ou músicas mais agitadas que falem de como conquistar uma mulher, não vai se arrepender de ir ao show. Não vi, nem ouvi ninguém falando mal ou saindo decepcionado. Ops…minto. Vi sim. Os seguranças que não conseguiram conter um bando de mulheres loucamente apaixonadas.