Por Fernanda Beziaco

Leitores, que falta senti de vocês! Parece que faz um século que não escrevo aqui no blog.

Deixe-me justificar a ausência: estive viajando a trabalho na semana passada e não tive tempo para postar, mas estou de volta e vou falar de um livro muito bom do rei do mistério, Stephen King.

O livro em questão é “A maldição do Cigano”, uma trama muito louca escrita por King em 84, mais velho que eu este livro!!!

A história conta sobre Billy Halleck, um advogado gordo e bem sucedido, que é amaldiçoado por um cigano.

Em alguns momentos, confesso que achei uma comédia, mas…

Vamos lá, vou contar como ele foi amaldiçoado e porque:

Estava Helleck dirigindo com sua amada esposa Heidi ao seu lado, de repente, a esposa carinhosa resolve lhe fazer um agrado. Enquanto ele dirigia, sua esposa o amava. Resultado? Ele gozou e ao mesmo tempo atropelou uma velhinha, mas não qualquer velhinha, uma cigana.

Ai é que começou o problema, porque Helleck foi a julgamento pela morte da cigana velha, mas o juiz (seu amigo) o absolveu e, o marido da velha foi lá amaldiçoar ele.

O cigano tocou em Billy e disse apenas duas palavras: Mais Magro.

E ele começa a emagrecer, emagrecer, emagrecer.

O juiz que o absolveu também levou uma maldição pra casa, algo escamoso, meio peixe.

Enquanto perdia peso, Billy começa a ter conflitos com a esposa, com a filha, com os amigos, com todo mundo. Passa a acreditar de vez que a maldição era verdade. Prepara uma vingança.

E, se me permitem falar sobre o final, o final não é bom pra ninguém. Só pro cigano velho, e olhe lá!

O livro é bom!

Mórbido as vezes, engraçado também. Depende de como você lê…

É isso por hoje pessoal!

Se já leu, abra a matraca e se não leu, abra também.

Até a próxima sexta!