Por Antonio Saturnino

Esta semana resolvi fugir do óbvio, que seria falar sobre o Rock’n Rio (que para mim, com raras exceções, está um porre!!) e vou falar desta que, particularmente, foi a notícia mais impactante da última semana: o fim do grupo R.E.M.

Pois é, admito que não estava preparado para isto, visto que sempre acompanhei e admirei o trabalho da banda. Embora a notificação tenha sido feita no último dia 21, a dissolução do R.E.M, conforme declarado pelo baixista Mike Mills à revista Rolling Stone, já estava sendo discutida pelos integrantes desde a turnê que realizaram em 2008. “Há tristeza pelo fato de eu saber que nunca mais dividirei o palco com Peter (Buck) e Michael (Stipe)”, afirmou o baixista.

Esta é, sem dúvidas, mais uma das poucas bandas dos anos 80 que conseguiram manter o sucesso ao longo das décadas de sua formação. Três décadas e um ano para ser mais exato, durante os quais lançaram mais de 20 discos, entre produções de estúdio e gravações ao vivo. Poderia ficar aqui um bom tempo citando grandes sucessos deles, mas não há como negar que Losing my Religion é o grande hino do grupo. Vale destacar outros sucessos como Shiny Happy People (para mim uma das melhores), Imitation of Life, It’s the End of the Road e Everybody Hurts, sendo esta última considerada uma das músicas mais “deprês” dos últimos anos.

A importância deles no cenário musical é tão grande que em 2006 eles entraram para o Rock and Roll Hall of Fame. Um outro episódio marcante na trajetória do grupo, foi quando o vocalista Michael Stipe assumiu publicamente sua homossexualidade, em um momento que este tema ainda era um grande tabu. Na ocasião disse em entrevista que uma postura como aquela era muito importante para ajudar os jovens gays e que seria positivo se outras figuras públicas também o fizessem.

De fato, eles marcaram não apenas uma, mas três décadas e não o fizeram apenas no cenário musical, mas também no social. Para os que ficaram órfãos, este ano ainda será lançado mais um trabalho do grupo, o R.E.M., Part Lies, Part Heart, Part Truth, Part Garbage 1982-2011, que contará com três faixas inéditas e deve chegar as lojas no dia 15 de novembro. 

Bom, fiquemos no aguardo deste novo trabalho. Eu esperarei ansiosamente.

Me despeço por aqui… Um grande abraço meus queridos!!