Por Fernanda Beziaco

Olha eu por aqui, em plena segunda… por essa vocês não esperavam né?! rs

Roubei o lugar da Ju Maffia hoje para falar sobre o documentário “Lixo extraordinário”. De longe o melhor documentário que já assisti (até o momento).

Lixo extraordinário foi idealizado por Vik Muniz, um artista plástico brasileiro muito talentoso que mora em New York. O documentário foi filmado entre agosto de 2007 e maio de 2009, no Rio de Janeiro. O local escolhido para este trabalho foi Jardim Gramacho, um dos maiores aterros sanitários do mundo.

O filme acompanha o trabalho de Vik para produzir uma obra que retrate os “catadores”. Cada vida, cada história, impressionante. De emocionar mesmo!

Para mim, resumiria Lixo Extraordinário em uma sentença: quebra de paradigmas.

Quem foi que disse que a pessoa que trabalha com o lixo é lixo? Então, porque raios pensamos assim?

Assistir esse documentário, mudou muito minha visão, até então, bastante preconceituosa. Quem vai ser hipócrita o bastante para dizer que não tinha ou não tem preconceitos?

Um dos personagens dessa história real é Tião, presidente da ACAMJG (Associação dos Catadores do Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho), que trabalha com reciclagem desde os 11 anos. Tião encontrava livros no lixo e foi deles que nasceu o pensamento de “fazer a diferença”, de junto com os outros catadores organizar o trabalho no aterro.

O trabalho de Muniz em Gramacho mudou a vida das pessoas que participaram do projeto, deu a eles uma nova perspectiva de vida. Mostrou a eles um tipo de arte que não conheciam ou que não entendiam. Penso que a infuência de Vik na vida destes catadores os transformou de forma irreversível.

E, apesar de não podermos ver essa transformação em todos, podemos ver através do próprio Tião. Essa semana, por exemplo, vi o comercial da Coca-Cola. E, qual não é a minha surpresa, quando vejo Tião e o Jardim Gramacho, a Associação tem o apoio da marca. Será que se o Vik não aparecesse lá isso teria acontecido? Dificilmente…

Um dos personagens do documentário, o sr. Valter dos Santos, falou algo que mexeu profundamente comigo “99 não é 100”, preciso dizer algo mais? I don’t think so.

Deixo aqui para vocês o trailer do documentário e a entrevista de Tião para o Jô Soares.

Trailer: 

Tião no Jô:

No youtube é possível encontrar o documentário completo. Assistam! Vale cada segundo e, dúvido que vocês não vão se emocionar.

Para ver a galeria de fotos de Vik e os catadores de Gramacho, clique aqui.

A semana tá só começando e quero lançar um desafio a vocês, olhar por outra perspectiva aquilo que vocês desconhecem.

Ótima semana!

P.S.: O filme concorreu ao Oscar 2011 de melhor documentário, infelizmente não ganhou, mas deveria.

Anúncios