Hoje o Matraca Aberta recebe um convidado especial, Carlos Abreu Filho, cineasta, que falará sobre um de seus filmes favoritos!

Por Carlos Abreu Filho

Como convidado e, pela primeira vez postando em um blog, acho prudente, não começar com uma crítica negativa ou muito pesada. Portanto, escolhi falar de um filme que está entre os meus favoritos, a comédia de 2009 dos irmãos Coen, Um Homem Sério. Que além de ser hilário, a produção faz uma crítica muito irônica ao que, para muitos, é considerado o mais importante hoje em dia: família, trabalho e religião e, até a sua saúde.

Ainda me lembro quando fui assistir esse filme no cinema. As luzes se apagaram e rapidamente começou o filme, logo fiquei receoso, pois o filme abria com uma citação  “Receive with simplicity everything that happens to you” , em uma adaptação livre, seria algo como “ Seja receptivo a tudo que lhe acontece”. A preocupação veio, pois a citação às vezes acaba virando a “moral” da história e não existe nada mais imoral do que um filme moralista. Essa preocupação felizmente foi sanada no decorrer do filme, em raras exceções os irmãos Coen nos decepcionam.

O filme é bem simples: uma família judia, dois filhos e o tio que mora de favor no sofá. Acompanhamos a vida de Larry Gopnik, um professor de física na universidade local, que tenta ser um bom cidadão, um bom marido e um bom pai. Logo fica claro que ele não faz a menor ideia de como fazer nada disso, principalmente quando sua mulher avisa que ela quer o divórcio pois ela quer ficar com um antigo amigo da família, pegando Larry desprevenido.

A vida de Larry segue com diversos percalços. Ele tenta se manter um homem ético e integro e, para tal, procura ajuda com os rabinos da sua comunidade, se deparando com algumas situações muito divertidas, que podem irritar os mais religiosos. Tudo é feito como muita sutileza, todos os diálogos e situações não são exageradas apesar de absurdas, e se o espectador não estiver ciente da ironia dos irmãos Coen, o filme pode até passar como uma comédia bobinha e simples com uma moral no final.  Mas, na verdade, o filme tem tudo menos uma moral no final. Como uma dica para o espectador mais atento, digo que preste atenção na música do Jefferson Airplane que acaba sendo recorrente no filme.

De uma forma geral, o filme é muito bem construído com atuações impecáveis de todo o elenco que, por sinal, é desconhecido de Hollywood. Destaco, especialmente, Michael Stuhlbarg que interpreta Larry Gopnik e Aaron Wolff , no papel de Danny Gopnik, filho de Larry.

Com um filme despretensioso mas que acabou virando de longe, o melhor filme da carreira dos irmãos Coen, Um Homem Sério é, com certeza, um dos grandes filmes da história do cinema e deve entrar em futuras listas de melhores filmes da história.