Por Antonio Saturnino

Este ano, mais precisamente dia 13 de agosto, o Matraca cobriu o 2° Festival da Nova Brasil. Tínhamos algumas ideias bacanas de produzir um vídeo para inserir no post, e por isso fui adiando a postagem do texto. Mas, como o vídeo tá meio de rosca (desculpem pela expressão), vamos lá antes que eu abra mão de falar sobre uma iniciativa tão bacana, além de algumas fotos muito legais que tiramos lá.

Definitivamente, este foi o ano dos festivais no Brasil. Mas apenas ele tem a proposta única de prestigiar o artista brasileiro e valorizar nossa música. O time de músicos foi do primeiro escalão, cada qual representando diferentes vertentes do cenário fonográfico atual. Na oportunidade se apresentaram: Zé Ramalho, que levou a sua veia nordestina ao palco; Ana Carolina, que hoje é uma das cantoras mais representativas e consagradas da MPB; Maria Gadú, um dos grandes nomes da nova safra da música; e Os Paralamas do Sucesso, que representam o rock nacional e a nostalgia dos anos 80.

Zé Ramalho o evento. No repertório como os grandes sucessos como Admirável Gado Novo e Sinônimos. Depois foi a vez de Ana Carolina, que arrancou gritos frenéticos do público, que a acompanhou em coro em canções como Pra Rua Me Levar e Quem de Nós Dois que, embora batidas, ainda emocionam. Nessa troca de atrações, todos, inclusive eu, aguardavam um dueto da Ana com Maria Gadú em Mais Que a Mim. Mas ele não aconteceu e Gadú deu sequência à noite de shows e, além de seus hits, cativou os presentes com interpretações inusitadas, como a canção francesa Ne me quitte pas e You oughta know, da cantora Alanis Morisete. Por último, mas não menos importante, os Paralamas conduziram o show, mesclando o repertório com músicas dos anos 80 até as mais atuais. Sem dúvidas a apresentação dos Paralamas do Sucesso, como o próprio nome sugere, foi um sucesso.

Para mais fotos do show, acessem nosso Flickr:
http://www.flickr.com/photos/matracacultural/sets/72157628006707075/