Por Juliana Maffia

Drama, namoros, mais drama, vampiros e adolescentes? Se essa trama lhe parece familiar e você pensou no filme Garotos Perdidos acertooou! Hehehe. Apesar dos vampiros andarem com a reputação na lama, esta semana venho provar que existem filmes bacanudos sobre os dentuções, basta você querer assistí-los! Se é que já não assistiu, durante a infância, em alguma Sessão da Tarde…

O filme de Joel Schumacher (aquele cara que fez Batman e Robin tsc tsc tsc) traz como personagens principais os irmãos Michael e Sam. Na trama, os dois chegaram recentemente à cidade de Santa Carla, na California, conhecida por recentes assassinatos e desaparecimentos. Os dois irmãos não parecem se importar com os rumores, logo estão aproveitando a “cena” da cidade, shows, parques e moleques baderneiros por todos os lados. O problema começa quando eles descobrem a verdadeira razão destes desaparecimentos, e que os baderneiros da cidade não são adolescentes comuns.

Tudo no filme é “over the top”, ou seja, muito exagerado. Mas aqueles eram os anos 80 e nós não podemos julgar o diretor Schumacher (ou podemos?). As cenas de romance entre Michael e Star são absolutamente ridículas, musiquinha lenta, closes e movimentos de câmera pra lá de brega. As cenas com os vampiros são dignas de ventos uivantes, neblina e trovões, mais parece o apocalipse. Você ainda conta com as performances de Kiefer Sutherland (24 horas), Dianne Wiest (A Rosa Púrpura do Cairo) e Edward Hermann (Riquinho Rico). Ah também não podemos esquecer do avô dos irmãos, um ex-hippie que surpreende a todos com sua lucidez.

Garotos Perdidos é ruim? Bom, isso depende muito! O longa é perfeito para a década que foi feita! É difícil criticar algo quando há uma forte ligação emocional. Quem cresceu assistindo filmes como estes na televisão dificilmente falarão mal deles, este é meu caso. Um clássico dos filmes teen e de vampiro, o mínimo que você deve fazer é dar uma chance aos Garotos Perdidos.

P.S. Quem entendeu referência do título aos garotos perdidos de Peter Pan merece um prêmio 😉 garotos que nunca crescem e que são vampiros… será que os roteiristas pensaram muito para ter essa ideia?