Por Mariana Bernun

Olá, Matraqueiros sejam bem-vindos a mais um sabadão!
Hoje trago-lhes um pintor de expressiva importância, e que todos um dia já ouviram falar ou estudaram nas aulas de artes do colégio. O cara é ninguém mais ninguém menos que Cândido Portinari, um artista plástico brasileiro com legado de mais de cinco mil obras.

Dentre suas produções, Guerra e Paz (1952-1956) é uma das maiores cobiças de pesquisadores e amantes das artes. A peça teve apenas uma aparição ao público, em uma cerimônia no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, em 1956.

Os paineis, cada um com aproximadamente 14X10, foram encomendados pelo governo brasileiro e ficaram instalados na sede da ONU (Organização da Nações Unidas) em Nova York até 2010, quando eles resolveram fazer uma reforma no prédio, momento exato para solicitar uma restauração às telas de Portinari.

É aí que chega a parte boa! Guerra e Paz foi restaurado e disponibilizado ao público no Memorial da América Latina este ano. E uma obra de aproximadamente 60 anos e tão querida, que não pode ser ignorada. Sugiro a todos uma visita, pois nestas telas é perceptível o tom sensível do pintor em que Guerra significa o sofrimento e Paz as coisas simples da vida.

Serviço:

Guerra e Paz
Data: até dia 21 de abril
Horário: Terça a domingo, das 9h às 18h
Local: Memorial da América Latina – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda
Gratuito