Cinema


Por Juliana Maffia

Para os brasileiros, As Aventuras Tintim surgiu de uma união de fatores ligados a infância de muita gente. O diretor de clássicos como Indiana Jones e Tubarão descobriu o mundo de Hergé e resolveu transformar seus quadrinhos em filme. Essa produção já tinha um valor enorme para os brasileiros que, diferentemente dos americanos, cresceram assistindo os desenhos do jovem jornalista belga. Spielberg conheceu a história depois de velho e desde então tenta fazer um longa com o personagem. A animação finalmente conseguiu ser realizada e é com muito alívio que eu digo, ficou ótimo.

As Aventuras de Tintim – O segredo do Licorne traz aos espectadores a história de como o aventureiro (interpretado por Jamie Bell) se envolve com piratas e tesouros, no caminho conhecendo personagens clássicos como o Capitão Haddock (Andy Serkis). O jornalista ajuda Haddock a reaver um tesouro que há tempos tinha sido transportado por seu familiar. Mas para isso eles precisariam desbancar o vilão Sakharine (Daniel Craig) claro que com o auxilio dos incríveis detetives Dupont e Dupont.

Se você for um grande fã dos quadrinhos e/ou desenho com certeza irá gostar do longa. Fontes seguras me afirmaram que a história do filme é bastante similar ao quadrinho de mesmo nome. Apesar de algumas mudanças o filme se mantém bastante fiél à criação de Hergé. Spielberg conseguiu capturar a essência das personagens. Através da animação ele pode usar a imagem de Tintim, mas aproximá-lo da forma humana. O que vemos são personagens dos quadrinhos com feições e expressões bastante reais.

As animações atuais não param de me surpreender, de tão boas. Todo o cenário do longa é impecável, em certos momentos jurava que o que via era um cenário real e não animado. Detalhes como a íris dos olhos e pelos de animais mostraram o enorme trabalho que envolveu a criação deste filme. A sequência inicial é muito legal e logo de cara o diretor homenageia o criador de Tintim. Todos aqueles que gostam de uma boa aventura, mesmo não conhecendo o personagem belga, irão adorar o filme. Com ultas, fugas, perseguições, Tintim leva a vida de jornalista que muitos gostariam de ter.

Anúncios

por Juliana Maffia

Tudo Pelo Poder é um suspense político que traz uma visão cruel da política estadunidense (não entrareina comparação com o nosso governo). Se você nunca entendeu como funciona as eleições por lá, este filme esclarece algumas dúvidas. Inclusive, o diretor George Clooney explica qual a importância das Prévias-Eleitorais para os americanos.

Stephen Meyers (Ryan Gosling) faz um jovem assessor de imprensa que acredita piamente no político que representa, Mike Morris (George Clooney). Vemos como a campanha de um candidato é realizada, suas entrevistas, debates, o jogo sujo por trás de tudo. Mas algo acontece para testar a fé de Meyers, nem tudo o que ele acreditava é certo. O que ele fará a respeito?

George Clooney tem que ser parabenizado pela escolha dos atores para este longa. Foram escolhidos grandes atores que desempenharam seus papéis muito bem. Além dos que já foram citados temos: Philip Seymour Hoffman, Paul Giamatti e Evan Rachel Wood.  A história é bastante interessante para quem gosta de política, especialmente se tiver curiosidade quanto ao modo como se faz política nos Estados Unidos.

Os espectadores poderão se surpreender algumas vezes, quando os personagens não tomam as decisões das mais convencionais. Em outros momentos você irá querer matar Grosling pela extrema inocência. Não espere cenas de perseguição e tiroteios, este não é um destes filmes. Mas se comparado com Boa Noite, Boa Sorte, também de Clooney, pode-se dizer que ele é mais emocionante. Se você é jornalista sairá da sessão com a impressão de que sempre será o vilão, não importa que cargo ocupe.

Por Juliana Maffia
O que acontece quando se tem muito dinheiro e nenhuma imaginação para a criação de um novo filme? Simples, faça mais uma sequência. Desta mistura inusitada (ou não) saiu Missão Impossível 4: Protocolo Fantasma.
A trama? Russos, armas nucleares, Ethan Hunt e um vilão chamado Cobalto. E alguns pensavam que a Guerra Fria tivesse acabado! EM MI4, Cobalto é um terrorista visionário, acredita que se colocar os EUA contra a Rússia e começar uma guerra nuclear, apenas os mais fortes sobreviverão e um novo estágio da evolução humana terá início. O Terrorista explode o Kremlin e a culpa cai no governo dos Estados Unidos. Ethan Hunt e sua equipe são os únicos agentes que podem salvar o mundo de uma guerra nuclear. Parece exagerado? Pois é.
Um ponto positivo deste novo filme da franquia é: desta vez Ethan Hunt sofreu bastante. A missão não era apenas difícil, tudo deu errado durante o filme inteiro. Em poucos momentos sua equipe se saia bem, como se os deuses estivessem conspirando contra a IMF (Força Missão Impossível). Um ponto fraco: o vilão não era muito carismático. Por carismático quero dizer um vilão que realmente seja mau, que mereça o título. Onde foram parar os vilões maquiavélicos que queriam dominar o mundo? De resto, Hunt faz todas as peripécias que esperamos, você dá umas boas risadas com as situações impossíveis e suas consequentes piadinhas. Se você curtiu os outros filmes, vai gostar deste também.
P.S. Se possível assistam em IMAX 😉

por Juliana Maffia

Um novo ano está começando. Um ano cheio de expectativas, ou pelo menos até o final do mundo chegar. Hoje o Matraca está aqui para te preparar para um eventual apocalipse, sabe como? Com a esta magnífica resenha! Se você teme o apocalipse zumbi e ainda não tem planos para o que fazer caso ele ocorra, siga as dicas de Columbus em Zumbilândia e tudo vai ficar bem.

Columbus (Jesse Eisenberg) é um universitário vivendo seu maior pesadelo, o apocalipse zumbi. Os Estados Unidos foram completamente infectados e poucas pessoas ainda vagam a Terra tentando fugir destes monstros carnívoros. Mas Columbus é um garoto precavido, ele tem dicas e regras que o mantiveram vivo durante um bom tempo e, no decorrer do filme, ele divide estas regras com a gente.

Seu objetivo inicial é chegar a Ohio, onde sua família mora, mas o garoto encontra alguns companheiros pelo caminho que o fazem alterar seu percurso. São desajustados sociais que também estão tentando sobreviver ao fim do mundo. Primeiro temos Talhahassee (Woody Harrelson), um maluco obcecado por Twinkies e armas de grande porte. Depois temos as irmãs Wichita (Emma Stone) e Little Rock (Abigail Breslin), garotas perigosas que estão em busca de um parque de diversões, aparentemente o único lugar seguro que resta.

O que dizer sobre um filme que lhe ensina a sobreviver um apocalipse zumbi? Basta dizer que ele é trash. Mas ao tirar sarro de tudo o que é de mais podre nos filmes de zumbi ele se torna um bom longa. Não espere história, dialogos inteligentes, atuações soberbas por parte dos zumbis. Mas espere correrias, armas, alguns sustos e muito sangue!

Por Juliana Maffia

Simplesmente Amor!

Um filme Natalino diferente de todos os outros (pelo menos quando ele foi lançado)! Nesta época, eu poderia falar sobre Esqueceram de mim, mas, como todos já se apaixonaram por Macaulin Kulkin, eu não preciso falar bem dele por aqui, não é?! Neste Natal, na hora de assistir a algum filme, escolha uma comédia romântica inglesa, vai te fazer bem, eu garanto.

É difícil contar o enredo desta história. São diversos personagens que, de uma forma ou outra, estão ligados. Com eles, vivemos as cinco semanas que precedem o Natal. São histórias de todos os tipos, casais que terminam, ou começam, um relacionamento. Crianças que encontram seu primeiro amor. Pais que precisam reconstruir suas vidas. Amores não correspondidos. Mas a mensagem, mesmo sendo óbvia, é a mesma em todas as histórias: Natal é uma época de amor.

Como os ingleses transformaram esse tema em um filme de humor? Bom pergunte ao roteirista e diretor Richard Curtis. Acostumado a escrever roteiros, Curtis criou uma história exemplar. Quanto à direção, ele foi um dos primeiros a criar um filme com diversas histórias que se misturam (outro longa assim é Crash – No Limite).

O que faz do filme especial é a quantidade de atores fantásticos participando. As melhores atuações ficam a cargo de Emma Thompson, Alan Rickman, Rowan Atkinson, Bill Nighy e Hugh Grant (eu poderia incluir nesta lista diversos outros nomes). Todos os atores são muito bons com comédia e por isso se destacam. Se você não entende de humor inglês, é melhor deixar este filme pra lá…

Por Ju Maffia

Aviso: este post foi escrito por uma fã alucinada e pode conter spoilers 😉

Há algum tempo eles estavam sumidos das telonas. Suas últimas aparições deixaram a desejar. Alguns imaginavam que eles jamais seriam os mesmos. Mas em 2009 os Muppets anunciaram sua volta em grande estilo (favor checar o canal deles no Youtube), e esta volta se materializou em um novo filme protagonizado pelos bonecos/fantoches mais descolados do planeta!

O filme, de certa forma, espelha a realidade. Nele, os Muppets já não estão mais juntos, seu estúdio está abandonado. Insira neste cenário o vilão e o moçinho do longa, Tex Richman e Walter. Richman quer comprar o antigo local de trabalho de Caco (ou Kermit) e, claro, quer destrui-lo. Walter é o fã número um dos Muppets, mas ao descobrir o que aconteceu com a turma quer encontrá-los e salvar o estúdio das mãos de Richman. É ai que começa a aventura. Em primeiro lugar, Walter precisa encontrar todos os integrantes do grupo e convencê-los de voltar. Para depois recriar seu antigo show uma última vez.

Como filme infantil, o longa é ótimo. Cheio de bonecos carismáticos, com canções educativas e lições de vida. Melhor do que muita animação sendo lançada.  Por isso, vale muito a pena levar a nova geração, que não chegou a ter contato com os personagens. E para os fãs… bom… o filme é uma bela surpresa. Feito na mesma linha dos primeiros longas como Muppets – O Filme Os Muppets Conquistam Nova York, ele está cheio de referências aos antigos filmes e ao programa. Se ainda não foi ao cinema, saiba que você irá se deparar com diversos rostos conhecidos, as participações especiais são inúmeras!

A trilha sonora é digna de um filme infantil, as músicas originais são destinadas a este público. Canções felizes que só não pregam a paz mundial por que isso é piegas demais. Não que isso seja algo ruim, elas são divertidíssimas (em especial o dueto entre Walter e Jason Segel). A trilha sonora também está cheia de músicas dos anos 80, não preciso nem dizer o quanto isso é ótimo né?

Na trama, Walter está sempre em evidência. Mas não se preocupem! Kermit, Piggy, Fozzy, Gonzo e os outros membros do grupo são os verdadeiros personagens principais. É a história deles que o filme se preocupa em contar. Afinal, o que seria um filme dos Muppets sem as piadas de Fozzy, Gonzo e suas galinhas e, por fim, o romance explosivo entre a porca e o sapo?

Ho Ho Ho

O Natal está chegando e o Matraca Cultural colocou a barba, a roupa vermelha e vai distribuir os presentes.

Em dezembro vamos sortear para nossos leitores:

Dia 12 – Livro: As Esganadas do Jô Soares;

GANHADOR: @alexluizbr

Dia 16 – CD: Lioness: Hidden Treasures da Amy Winehouse;

GANHADOR: @DIVITTAOFICIAL
Dia 19 – DVD: O Rei Leão (I).
GANHADOR @caca_sangalo
Para participar é simples!
– Curta a página do Matraca no Facebook.
– Siga o Matraca no Twitter.
-Dê um RT na frase “Eu quero ganhar um livro, cd ou dvd de presente do @matracacultural neste natal http://kingo.to/V4J

OBS: Os ganhadores serão escolhidos aleatoriamente pelo sorteie.me – eles têm três dias para responder após entrarmos em contato. Os custos e forma de envio é de resposabilidade do Matraca Cultural.

Boa Sorte e Feliz Natal!

Equipe Matraca 😉

« Página anteriorPróxima Página »