Grafite


Por Mariana Bernun

São Paulo é o local da diversidade e da arte escancarada. A cada esquina, seja nas regiões centrais ou periféricas, existe algum manifesto de cultura. Seja por meio de museus e casas culturais, seja por meio de muros grafitados, o pluralismo da capital é um fato.

Para demonstrar parte desta São Paulo que nem todos enxergam, será instalada hoje (29) às 21h00, a exposição “Fontes Urbanas”, no complexo cultural ‘Serralheria’.

Fontes Urbanas - Divulgação

As lentes de Daniel Bernardinelli demonstram a arte urbana de “uma população analfabeta de direitos”. É o resultado das várias expressões artísticas ao redor da cidade, além de um minucioso estudo comunicacional, fotográfico e histórico. Ao visualizar as imagens, é fácil a percepção da linguagem intencional dentro de uma vertente social e política.

Vale a visita Matraqueiros!

Serviços:
Fontes Urbanas
Abertura: 29 de outubro
Horário: 21h00
Até: 26 de Novembro
Local: Serralheria –  Rua Guaicurus 857,  Lapa

Anúncios

Por Antonio Saturnino e Mariana Bernun

Cultura é uma palavra muito ampla e certa vez abriu-se esta discussão chegando à conclusão de que TUDO é cultura. Tudo também é muito amplo, mas é a mais pura verdade, estamos cercados de movimentos culturais que muitas vezes julgamos não ser construtiva a nossa própria cultura. Equívoco!

Outro dia li no facebook de alguém julgando uma frase que estava escrita em um muro, não fui de acordo com aquele comentário. Não sou adepta a pichação, mas confesso que tem muitas frases escritas em muros de São Paulo, que ensinam mais do que muitos intelectuais de palavras difíceis. E por este motivo abro o meu post de hoje para falar de um mega artista da arte das ruas.

Fabio Oliveira (Crânio) é um grafiteiro que se tornou conhecido por retratar índios azuis nos muros de São Paulo, misturando elementos da cultura indígena brasileira com alguns traços de outras culturas tribais como a pintura maori originária da Nova Zelândia. Crânio grafitava letras, mas sentiu a necessidade de ter um personagem para comunicar melhor seus ideais. A partir daí surgiu a ideia de fazer o índio como um resgate à cultura brasileira. “O índio está sendo desvalorizado e nossa cultura consequentemente é esquecida”, afirma o artista.


Hoje além “expor” seu trabalho pela cidade, o grafiteiro também faz muitos serviços encomendados, como o caso do ator Nico Puig (Filinto Guerra de “Amor e Revolução”). “Admiro muito o trabalho dele, principalmente pelo cunho político inserido. Acho o trabalho lindo, pois ele dá vida e movimento à cidade. Hoje ele é, principalmente, um grande amigo”, conta Puig sobre o a parceria e amizade com Crânio.

Se você matraqueiro nunca topou com um trabalho do artista espalhado pela cidade, a oportunidade chegou. Até dia 20 de agosto, o trabalho de Crânio estará exposto na galeria Traço Livre. Com curadoria de Luciano Iritsu e Silsi Viestel, a mostra traz um portifólio criado especialmente para esta este projeto. A Traço Livre funciona dentro do Iritsu Tattoo Shop localizado na Rua Cardeal Arco Verde, 520, Pinheiros. Excelente oportunidade de conhecer novas expressões artísticas em um espaço que respira arte!

Serviço: Traço Verde – de segunda a sexta das 11h às 20h, e aos sábados das 11h às 17h. 
Rua Cardeal Arco Verde, 520, Pinheiros
http://galeriatracolivre.wordpress.com/